Kabanna do Açai e Conveniencia

Kabanna do Açai e Conveniencia

18 de jan de 2017

TÉCNICO DO ATLÉTICO DESAPARECIDO, TINHA DADO UMA ESCAPULIDINHA

Escapulidinha


Diretor de futebol e vice-presidente do Atlético-GO, Adson Batista ainda não se reuniu com Marcelo Cabo e afirmou em entrevista ao Jornal Anhanguera que o técnico “não estava em condições” de conversar. Localizado pela Polícia Militar de Goiás (PM-GO) na noite de segunda-feira em um motel de Aparecida de Goiânia após quase 40 horas desaparecido, Cabo está em uma residência “se recuperando”. Ele até era aguardado na sede do Dragão para uma reunião nesta tarde, mas a mesma foi adiada. A definição sobre o futuro do treinador ficou para quarta.
– Eu não conversei com o Marcelo, mesmo porque ele não estava em condições. Pessoas ligadas ao clube, um conselheiro e o Mortoza (supervisor), o acompanharam até a residência em que ele está descansando e se recuperando. Vamos conversar com ele aqui no clube a partir do momento em que ele estiver em condições para isso acontecer.
Em coletiva de imprensa na manhã desta terça, a Polícia relatou como foram as diligências para encontrar Marcelo Cabo, mas evitou comentar questões de foro íntimo do treinador. Adson também preferiu não dar maiores detalhes, mas admitiu que Cabo estava alterado.
– As condições dele não eram as ideais, mas eu não quero expor o profissional. É um profissional que nunca teve nada que desabonasse sua conduta. Teve um ano perfeito aqui (em 2016). Grande profissional e pessoa de caráter inquestionável. Vamos avaliar com muito equilíbrio, mas, acima de tudo, pensando no Atlético-GO.
Cabo tinha sido visto pela última vez na madrugada de domingo (15), ao sair do prédio em que mora, em Goiânia. Antes disso, na tarde de sábado (14), o treinador comandou o Dragão na derrota por 1 a 0 para o Gama, no primeiro amistoso da pré-temporada.
Segundo o clube, após o jogo, Cabo foi a uma confraternização com amigos. Ao voltar para casa, ele ligou para o filho por volta de 2h40 e teve uma conversa sobre assuntos da família. Em seguida, as câmeras registraram o treinador deixando o imóvel sem portar telefone celular e documentos pessoais.Sem contato com o comandante, o clube rubro-negro registrou o caso na Deic no início da tarde de segunda-feira, por volta de 14h.
Após coletiva no CT do Dragão, na qual a diretoria oficializou à imprensa o desaparecimento, Marcelo Cabo chegou a ser visto em seu prédio por volta das 15h48 de segunda-feira. No entanto, permaneceu no local por poucos minutos e desapareceu novamente. Segundo disseram  funcionários do condomínio à Polícia e membros do Atlético-GO, ele não estava machucado nem com marcas de sangue. Porém, aparentava estar um pouco “grogue”. Às 20h40, a assessoria de imprensa da Polícia Civil fez o comunicado de que ele havia sido localizado.
Marcelo Cabo, técnico do Atlético-GO (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Marcelo Cabo não comparece ao Atlético-GO desde sábado (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Carreira
Natural do Rio de Janeiro, Marcelo Cabo tem 50 anos. Ele chegou ao Atlético-GO em 2016 e comandou o time na conquista do título da Série B do Campeonato Brasileiro. Foram 38 jogos, com 22 vitórias, 10 empates e seis derrotas à frente do Dragão. Ao longo da competição, o treinador fez trabalho consistente e foi um dos responsáveis pela brilhante campanha.
Cabo iniciou a carreira no Bangu, em 2004. Depois, foi auxiliar de Marcos Paquetá na Arábia Saudita por quatro anos e dirigiu uma equipe nos Emirados Árabes. Ele também foi auxiliar técnico de Jorginho e observador técnico de Dunga na primeira passagem dele pela seleção brasileira.
Fonte: Globo.com

Postagens populares