A Policia Civil continua sem pistas pra tentar localizar Gerina Ribeiro da Silva, 24 anos, que foi raptada de dentro de uma casa funerária na rua Alexandrino de Alencar, no Alecrim, enquanto velava o corpo do marido João Augusto Magalhães de Oliveira, 27 anos, que foi assassinado a tiros no sitio Arenã, em São José do Mipibu, na terça-feira (18). Sabe-se que a porta da funerária estava fechada, e dois homens chegaram batendo, ao abrirem, perguntaram pela viúva e fizeram arrastão levando objetos de quem se encontrava na ocasião. Um terceiro homem fazia a cobertura de dentro de um veículo.
Gerina Ribeiro da Silva testemunhou a morte do marido, atingido com um tiro na cabeça e golpes de facas no abdômen. Na ocasião, a mulher disse para a Policia Civil, que chegou ao local para iniciar as investigações na cena do crime, porque tinha ido levar a janta do marido, acompanhada de um motorista que a levara à granja onde estava a vitima, que estaria cumprindo pena no regime semiaberto por tráfico de drogas.
Uma irmã da viúva, Eline Ribeiro, já contou para a Policia que ela se encontrava em casa com o marido e um filho pequeno. O velório, segundo a irmã da viúva desaparecida havia começado na quinta-feira e se prolongara pela madrugada da sexta (21). quando, às 2h, houve o rapto, na Funerária Padre João Maria, na antiga avenida 8. O caso está sendo investigado pelo setor de inteligência da Polícia Civil.
Força Tarefa 
O delegado-geral da Polícia Civil, Correia Júnior, informou nesta sexta-feira (24), que a Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor) foi designada para investigar o sequestro de Gerina Ribeiro da Silva, cometido na última sexta-feira (21). “O Núcleo de Investigação da Polícia Civil já colheu várias informações e parentes da viúva já foram ouvidos pelos policiais. Além disto, estamos avaliando informações que estão vindo de outros estados, como o Acre”, afirmou o delegado-geral Correia Júnior.
Gerina Ribeiro foi sequestrada quando estava velando o corpo do companheiro, João Augusto Magalhães, em uma funerária de Natal. Ele, que é do Acre, foi morto na terça-feira (18), quando estava em uma granja na localidade de Arenã, em São José de Mipibu. Gerine estava no local do crime. O inquérito que investiga o homicídio de João Augusto está sendo produzido pela Delegacia Municipal de São José do Mipibu.