3 de mai de 2017

POÇO BRANCO: VEREADOR CONTRA O PROJETO, DIZ TRABALHAR 24 HORAS LIMPANDO MATO NO TERRENO DELE


Na votação do projeto que moraliza a Câmara de Poço Branco, um parlamentar que no primeiro momento das discussões se mostrou contrário, disse em plenário que o vereador Rodrigo Lucas, autor do projeto, estava ‘desmoralizando’ a Casa.

Ele reclamava do fato do vereador ter levado o assunto à imprensa.
Para o parlamentar que não queria de jeito nenhum mudar o calendário de trabalho, mas se viu obrigado a votar Sim – e vai votar Sim também no segundo turno – o autor do projeto quis ‘aparecer’…

Discurso que pegou mal, já que se mostrava cheio de ataques pessoais, e nenhum argumento contra o mérito do projeto.

E mais.
Por ter que votar obrigado, sob pressão da população de Poço Branco, através da imprensa, fez um discurso para lembrar que a tal lei que permite não se trabalhar, foi criada em 1992, quando o pai do autor do projeto era vereador e aprovou a Lei Orgânica.

Os ataques foram para o pai do vereador Rodrigo Lucas, o ex-vereador, ex-vice-prefeito e ex-prefeito reeleito, Roberto Lucas.
Os contrários não entenderam que o vereador em primeiro mandato hoje corrige o que pode ter sido falha de seu pai há mais de 20 anos.

Chateado por ter sido visto pela imprensa como pessoa que não trabalha, um vereador disse que vive ocupado e trabalha 24 horas por dia, limpando mato no terreno dele…

Em seu discurso, o vereador Rodrigo Lucas justificou que, apesar de não terem criado a lei, eles tem a “responsabilidade moral” de rever o “erro histórico”…
E que em 92 o tempo era outro…
O discurso do vereador foi aplaudido pelos populares que foram acompanhar a votação nesta noite de muito trabalho na Câmara de Poço Branco. (sic)
Thaísa Galvão