2 de ago de 2017

DEFENSORA DOS DIREITOS HUMANOS É ESTUPRADA E MORTA POR DETENTO QUE ACOLHEU



Uma mulher que era defensora dos direitos humanos, ajudou um ex presidiário, o abrigou e inclusive o ensinava a ler e escrever, no entanto, a retribuição que este homem deu a jovem foi a morte. Informações confirmaram estupro na jovem voluntária, o corpo teria sido encontrado despido e acorrentado em uma cama.
A despedida da família do corpo aconteceu no dia 15 sob forte comoção de amigos e familiares, todos estavam profundamente inconformados, inclusive os Pastores de uma Igreja Adventista que a vítima costumava frequentar. “Com o coração quebrado, a gente nem sabe como está respirando. É muita tristeza.
Quando alguém está doente a gente até espera algum desfecho ruim e prepara o coração, mas em um caso como este o que nos choca são as circunstâncias do fato, o que torna a situação milesimalmente mais dolorida”, disse uma tia da voluntária.
Simone de Moura Facine teria ido a uma chácara alfabetizar e dar aula de ensino religioso a um ex presidiário, muito dedicada e prestativa a Coordenadora do Projeto disse que Simone já fazia este tipo de trabalho a cerca de três anos, “Ela sempre se propôs a fazer atividades que nem eram próprias da função.
Ela sempre ajudou em muita coisa, sempre por iniciativa própria. Era uma pessoa muito boa e amorosa, sorridente e fazendo o seu melhor. Ficamos muito chocados e ainda é difícil acreditar o que aconteceu.”
A coordenadora do projeto social em que Simone trabalhava, contou como era o comportamento de Simone, “Ela sempre se propôs a fazer atividades que nem eram próprias da função. Ela sempre ajudou em muita coisa, sempre por iniciativa própria. Era uma pessoa muito boa e amorosa, sorridente e fazendo o seu melhor. Ficamos muito chocados e ainda é difícil acreditar o que aconteceu.”
Não se sabe ainda se o autor do crime foi preso, investigações confirmaram que dois dos moradores da chácara já tinham passagem por estupro, Simone foi encontrada acorrentada com cadeados presos, seminua e com sangramento na cabeça ocasionado por uma marretada. Infelizmente a jovem deixa um filho órfão, a moça era casada.